29 junho 2015

Um mirante no meio da mata, isolado


Do alto da Espanhola, a visão é privilegiada.
Estava nos planos deste mês de Junho subir nesse local. Um ponto isolado dentro do contexto das escarpas de arenito que passam aqui pelo Município de Nova Campina. 

Na verdade, não que ele esteja isolado. Esse monumento natural está inserido e encaixa-se perfeitamente dentro da conjuntura geomorfológica aqui da região, com aquela questão já bem conhecida do Escarpamento Estrutural Furnas.(Link)

Dentro do contexto acima, essa área pode ser definida como parte integrante da zona de influência, de cerca de 5 km de largura, esta que, segundo os autores, é representada pelos conjuntos de feições geomorfológicas especiais, apresentando relevos ruiniformes, canhões, morros testemunhos, pináculos etc. Creio que a “Pedra Espanhola”, aqui de Nova Campina, é um “Morro Testemunho”.

Ainda nessa ideia, autores definem o termo “escarpamento”, justamente pelas feições que vão além das escarpas, e apresentam ainda mais características, como é o caso das citadas acima. Os morros testemunhos, os canhões, os pináculos, estariam no que seria a “frente” do escarpamento. E pela observação da localização da “Pedra Espanhola”, ela seria parte desse conjunto de feições. Nas imagens do Google Earth, é perceptível toda a influência do Escarpamento Estrutural Furnas em sua passagem por Nova Campina e, neste ponto, na Pedra Espanhola, nota-se que ela está perfeitamente encaixada na frente do Escarpamento. 

Observando todo o contexto "Nova Campina-Itapeva", temos muitas belezas, olha só: na localização da Pedra Espanhola, por exemplo, ainda temos nas proximidades, o Cânion Pirituba à oeste, a "Pedra da Minerita" ao sul, à leste o cânion taquari, sem contar os mais de 10 mirantes mais ao sul de Nova campina, indo sentido ao Município de Bom Sucesso de Itararé. É uma abundância da atrativos ...


Sobre a denominação local “Pedra Espanhola”, foi o Galdino que informou.

De fato, a “Pedra Espanhola” tem suas singularidades. Uma diferença com relação aos outros pontos, é, por exemplo, que devido à sua forma e localização mais isolada em meio à mata e por suas dimensões gigantescas, há naturalmente uma visão com muito mais aproximação com a mata e isso é um diferencial, principalmente para nós que estamos acostumados nos demais mirantes aqui do município.



Por experiência própria, conferida “in loco”, posso afirmar: a “Pedra Espanhola” nos emerge sobre a mata tornando-se uma espécie de imã, chamando admiradores extasiados pelas belezas apresentadas por ela mesma. Ela nos apresenta o seu tudo e, ali, no alto e distante, eu me pego a pensar e concluo conforme mostra a Palavra de Deus, que o cume dos montes pertence ao Senhor.

Desta forma nosso coração se enche e Louvamos e bendizemos ao Senhor. Ao Criador.

Lá no alto ficamos diante de uma mata que circunda todo o morro.Uma paisagem exuberante. As imagens denunciam isso. Vejam:







Ainda na subida

Os detalhes da Pedra Espanhola: minerais unidos formando o "todo".
Antes de subirmos, verificando o entorno da Pedra Espanhola.
Nesta imagem é possível ver no detalhes, à direita, as ações exógenas modelando a parede da Pedra Espanhola e construindo algumas pequenas formas bizarras. Eu vejo um Pica-pau.
Ao fundo, na paisagem, o charme dos mirantes Pedra da Mina e Usina (Ou também Morro do Chapéu e Pedra do Lago).Na esquerda, o Cânion Taquari. 
Neste momento, ao lado da parede cheia de plantas, Galdino eu eu estávamos subindo.
Ainda subindo, devagar, observando e contemplando o contraste entre nuvens e arenito nas paredes.








Lindo Quati
Após subir a mata fechada nos deparamos com essas belezas no cume.

Em meio à mata, a estrada de acesso.
É preciso registrar: Nesta foto há um quati amarelo. Haviam dois e estavam lá no alto. Nos afastamos dele para não assustar.

E as belezas continuam: Flores!







Com o Galdino. Experiente e conhecedor de cada cantinho de Nova Campina.






















Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

POST

POST