Silvino Bueno de Camargo e Eunice Duarte Monteiro de Camargo



Por Juliano Camargo



        Uma união abençoada


Com 65 anos de união conjugal, uma vida abençoada e repleta de bençãos, casal fala um pouco sobre a trajetória de vida.

Ambos nascidos no bairro do Barreiro, Silvino e Eunice falaram ao Blog do Juliano Camargo na residência do casal, no Barreiro em Nova Campina.

A visita foi feita na tarde da última segunda-feira, 23 de janeiro de 2012.


Silvino Bueno de Camargo 

Em 11 de fevereiro ele completará  85 anos

Nascido no bairro Barreiro no ano de 1927,  dia 11 de Fevereiro,  aos 84 anos “seu Tico”, como é conhecido, é  um dos moradores mais antigos do Barreiro. Com muita alegria e satisfação ele respondeu algumas de minhas perguntas e contou um pouco de sua história.
Filho de Salvador Bueno de Camargo e Teofila Jovina de Almeida casou-se com Eunice Duarte Monteiro de Camargo em 20 de Dezembro de 1947, há 65 anos.

Desta união nasceram  seis filhos: Silvano Duarte Camargo (vice-prefeito de Nova Campina em 2005/2008), Silvana, Shirlei, Celina, Silas e Circe. Também adotou  Carlitos Martins Camargo, quando este tinha  aproximadamente 30 anos de idade. Tem 12 netos e 6 bisnetos.

Silvino B. Camargo construiu sua história no Barreiro. Foi trabalhador rural e agricultor, criou gado e cultivou tomate durante 40 anos no Barreiro.

A cerimônia religiosa de casamento foi feita pelo Reverendo Felipe Manoel de Campos, pastor da Igreja Presbiteriana e o civil feito por Hugo Moura, contou.


Eunice Duarte Monteiro de Camargo 



Todo o relato decorrente da vida de Silvino B. de Camargo  feito nas linhas seguintes também foi vivenciado por  dona Eunice.

As informações aqui presentes fazem parte da vida do casal.

Dona Eunice nasceu em 4 de março de 1930. Com 82 anos, ela ainda lembra-se de muitos momentos dos quais nos relatou e nos ajudou para a realização deste registro.

Filha de Francisco Monteiro de Almeida, vive uma linda história com o seu esposo, Silvino. Crente e fiel ao Senhor, criou os filhos em disciplina e muito amor. Sua vida de dona de casa e auxiliadora de seu esposo na agricultura foi sempre pautada em muito trabalho: “Cozinhar para os “camaradas”, preparar o alimento e auxiliar no trabalho. Foi muito trabalho, sempre!”, exclamou.


Vida de Trabalho – Silvino


No Tomate; 1998, aos 70 anos ainda ajudando no Tomate.

Tomate – “Plantei tomate durante quarenta anos aqui no Barreiro. Sempre plantei pouco, mas foram quarenta anos de minha vida dedicados ao tomate”, disse.
Na lida do tomate, Silvino diz que contratava muitos empregados  e ainda, que estes se alojavam em sua residência durante toda a lavoura. “Eram tempos de muita luta e trabalho”, comenta sua esposa, dona Eunice.

Sempre tendo ao lado, o auxílio da esposa, dona Nice, ele conta que  também criou gado, galinha, porcos, cabras e ainda plantou um pouco de tudo. Assim criou todos os filhos, numa vida farta e de abundância.

Com muito bom humor e sorrindo ele diz: “Hoje estou só na sombra"...

Educação – Sobre sua escolaridade, revelou que não nunca foi matriculado em nenhuma escola. Sabe ler e escrever, mas disparou: “Eu e meus irmãos aprendemos a ler e a escrever com a “dona Zula”.  ( sua Cunhada – Maria Isolina Monteiro de Camargo)

Mesmo sem frequentar a escola, aprendeu muito pelo próprio esforço e a ajuda da então professora, dona Zula, sua cunhada.

Vida de Fé –  Criado em lar evangélico, foi Presbítero da Igreja Presbiteriana do Barreiro e nesta denominação contribui  muito, sempre pregando o evangelho e participando das reuniões do presbitério. Também hospedou muito pastores e pregadores em sua casa. “Até hoje hospedo pastores em minha casa”, afirmou.

No dia dos Pais com os filhos: Pastor Silvano e Silvana.


Com uma vida de oração e muita fé, ainda hoje  vive uma vida pautada na palavra de Deus.

Evangelista – Foi também ungido Evangelista no campo da Igreja Evangélica Obra da Restauração. No Barreiro, também contribuiu e colaborou muitos anos neste trabalho. Ainda hoje freqüenta esta Igreja.



Da esquerda: João Morais,  Pastor Jairson e Pedro (Genros), Silvino ao centro,o filho Silas e o neto Jessezai.


Hoje – Muita felicidade e um rio de bênçãos



Numa vida abençoada, rodeado pelos filhos e sempre tendo os netos por perto, eles sempre gostam de reunir a família. De tempo em tempos matam um boi, fazem um almoço, enfim...


Passeio por Itapeva – Ainda com frequência o casal pode ser visto pelas ruas de Itapeva. Este escriba já se deparou com seu Tico e Dona Nice em pleno calçadão Dr. Pinheiro. Os dois vigorosos e cheios de vida passeando por Itapeva.

Residem há quase 40 anos entre a Rua Teofila Jovina de Almeida e Ernesto Bueno de Camargo, local onde me receberam. Na varanda da casa do casal recebemos as informações contidas neste registro. Foram pouco mais de uma hora de  uma conversa boa, produtiva e agradável.

Homenagem

Este casal é exemplo de vida e ainda mais: de vida abençoada. São testemunhos de um Barreiro do passado e um Barreiro do presente. Fazem parte da história de Nova Campina. Por este motivo são homenageados pelo Blog do Juliano Camargo.

Por Juliano Camargo ( Sobrinho do casal)


Mais fotos - Família











Anexo - Barreiro – Um pouco de História

Sobre o bairro, ele conta que muita coisa mudou e que o progresso, se comparado ao que era, chegou e rápido.

Itapeva não era tão perto – “Naquela época, não existia transporte e era difícil. Fomos caminhando ao casamento do seu Heitor Moura e nossa prima, Eliza Monteiro em Itapeva. Saímos às 6 da manhã e chegamos às 18 horas”, revelou.

Dona Nice conta que tudo era muito difícil e que hoje é tudo muito diferente. Não havia eletricidade, era tudo no lampião. Ela também comenta que certa vez, quando estava com 5 dias de casamento, ou seja, em dezembro de 1947, ficou doente e seu cunhado, Ernesto foi até Itapeva comprar remédio com o farmacêutico Ariovaldo.

Dona Nice conta que ir até Itapeva a cavalo ou caminhando era normal.

 Seu tico também comenta que em tempos de morte de falecimentos, um grupo de diversas pessoas tinha que levar em uma espécie de rede o corpo até o cemitério de Nova Campina. Ele conta que participou deste tipo de acontecimento quando era jovem.
“Éramos obrigados a ir acompanhar e ajudar”, enfatiza.

Barreiro – O Nome
Segundo as informações de seu Silvino, o nome do bairro se deu em função da abundância de argila e terra argilosa. Daí também o funcionamento de uma olaria comandada pelo seu sogro, Francisco Monteiro de Almeida.

Algumas informações

Irmãos de Silvino Bueno de Camargo – Filhos de Salvador Bueno de Camargo e Teofila Jovina de Almeida.

Marcelino Bueno de Camargo, Ernesto Bueno de Camargo, Uriel Bueno de Camargo, Eunice Bueno de Camargo, Valdomiro Bueno de Camargo e Filomena Bueno de Camargo.
Irmãos de Eunice Duarte Monteiro de Camargo – Filhos de Francisco Monteiro de Almeida e .....

Noemi, Adiel, Izalina, Abner, Cacilda, Frederico ,João e Juvenal (Família Duarte Monteiro)
Francisco Monteiro era irmão de Teofila Jovina de Almeida.














.



Postagens mais visitadas deste blog

Nova Campina, Itapeva e Bom Sucesso de Itararé numa rápida passagem

Bike nos mirantes de Nova Campina

Trilha familiar