A metáfora da águia e da galinha


James Agrey, educador, contou certa vez em Gana, na África Setentrional esta metáfora, quando os ganeses sobreviviam debaixo do domínio estrangeiro sobre a nação. Disse ele:
“Certo dia, um caçador saiu ao campo em busca de uma caça. Embrenhou-se floresta adentro, dias e dias, sem nada encontrar. Após longa caminhada, o caçador encontrou no sopé da montanha, um filhote de águia, ainda sem plumagem, que havia despencado do ninho. O filhote estava machucado e fraco. Então o caçador resolveu leva-lo para casa e cuidar do filhote de águia. Tratou das feridas, alimentou o indefeso filhote e o colocou no galinheiro nos fundos de sua casa. Ali, com as outras aves, o filhote cresceu.
Anos mais tarde, passou por ali um técnico agrícola, e vendo aquele quadro grotesco indagou do caçador: “Isto aí é uma águia, o que faz no galinheiro com a s galinhas ?” E o caçador respondeu: “Isto aí era uma águia, agora é uma galinha!” Eu a apanhei recém-nascida e a criei como galinha. Ela cisca como galinha, dorme com as galinhas...nem voar mais ela se presta”.
O técnico agrícola ficou indignado: “Isso jamais! Águia é águia e galinha é galinha”. Pois é, disse o camponês caçador. Mas esta aí agora é galinha. Virou galinha, deixou de ser águia.
Nos dias que se seguiram, todas as manhãs o técnico agrícola tentava provar que quem nasce águia, não pode ser galinha. Subiu em uma árvore, e ao jogar pra cima àquela imensa ave, ela caiu no galinheiro e desengonçada, vai esconder-se com outras galinhas. O camponês a tudo via e achava graça em tudo. Pois é, ela virou galinha!
No dia seguinte, subiu ao telhado da casa... o mesmo aconteceu... e o camponês desafia: Desista disso, ela agora é galinha!
Na última semana, o técnico subiu em uma montanha e levou consigo a dócil águia. Ao amanhecer, com os primeiros raios de sol cortando os negros céus, a brisa forte farfalhando as penas da águia, o agricultor declara: “Voe águia, você foi feita para os céus. Suba as alturas... assim que o sol despontou no horizonte, e o vento forte saculejou a ave das mãos do agricultor, a águia soltou um grunhido, bateu as asas e subiu as alturas até se perder na imensidão dos céus”...
Na vida, muitas situações nos quebram e tentam reduzir-nos a uma condição para a qual não fomos criados! Deus nos fez como águias. Não se deixe domesticar como uma galinha aprisionada em um galinheiro, perdendo a visão do alto e a liberdade de voar no sopro do Espírito. Voe as alturas!
“Os que esperam no Senhor renovam suas forças, sobem com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam” (Isaías 40.31).

Postagens mais visitadas deste blog

Nova Campina, Itapeva e Bom Sucesso de Itararé numa rápida passagem

Bike nos mirantes de Nova Campina

Trilha familiar