Pular para o conteúdo principal

Santa Ignorância




Por Rev. Gilberto Bueno Filho 

“Apliquei o coração a conhecer a sabedoria e a saber o que é loucura e o que é estultícia; e vim a saber que também isso é correr atrás do vento. Porque na muita sabedoria há muito enfado; e quem aumenta ciência aumenta tristeza.”
Eclesiastes 1.17-18.

Quando lemos esta passagem bíblica percebemos que os tempos vividos do rei Salomão são semelhantes aos nossos. Há uma busca desenfreada pelo saber, pela informação. É fundamental estar “in”, isto é, por dentro, obtendo assim sucesso e prosperidade na vida.

Pater Large diz que “nos últimos 30 anos, produziu-se um volume de informações novas maior que no 5 mil anos precedentes. Cerca de mil livros são publicados no mundo por dia e o total do conhecimento impresso duplica a cada 8 anos.”


O problema dessa busca obcecada reflete em nossos relacionamentos, pois longe de contribuir para um amadurecimento relacional, nos torna cabeças ambulantes, sem coração e sentimento. Onde “eu” sei tudo e não preciso da ajuda de ninguém. Levando os seres humanos a uma completa e total alienação de quem realmente somos. Seres criados a imagem de Deus (Gênesis 1.27).


Diante dessa avalanche de informações, devemos ser seletivos na busca do saber mais. Devemos nos ater ao que é fundamental, como nos disse o rei Salomão no final de seu livro (Eclesiastes 12.13), “De tudo o que se tem ouvido, a suma é: Teme a Deus e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo homem.”


A busca pela informação que se pode alcançar por meio de estudos, da observação e do raciocínio é útil e desejável (Cf. Ec 7.5, 11-12, 19), mas essa busca pela informação, pela sabedoria não consegue responder satisfatoriamente às perguntas que mais inquietam o espírito humano (Ec 3.11), nem assegura aos “sábios”, os detentores da informação um destino melhor que os que não possuem. 


Daí a afirmação do rei Salomão ao dizer que na muita sabedoria, isto é, na informação, há também uma fonte de pesar e insatisfação (Eclesiastes 1.18). Deixemos toda essa ansiedade causada pela busca da informação e apeguemo-nos ao que é fundamental, Temer a Deus.


Lembre-se:


1) Ninguém sabe tudo. Assuma sua ignorância e seja feliz com ela.
2) Aprenda sempre com todos.
3) Saiba filtrar o que realmente é fundamental para a vida.


Assuma a sua “santa ignorância” e viva a vida de maneira correta e linda diante dos homens e de Deus.


-------------------------------------

Gilberto Bueno Filho, casado com Regina tem 3 filhos. Formado em 'Teologia' (2001) pelo Seminário Presbiteriano do Sul - SPS, na cidade de Campínas, SP; e 'Pós-Graduação' em 'Ética, Cidadania e Subjetividade' pela Escola Superior de Teologia - EST, em 2007. Pastoreia atualmente a IPB na cidade de Echaporã, interior de São Paulo.


Poderá também gostar de:

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Na Caverna Casa de Pedra, o maior pórtico de caverna do Mundo

Patrimônio Natural da Humanidade, Vale do Ribeira se destaca com suas belas paisagens Juliano Camargo
Nossa ida ao Município de Iporanga-SP foi motivada pela trilha que dá acesso ao pórtico da caverna Casa de Pedra: a maior boca de caverna do mundo.Apenas isso! (risos).Fomos no dia 06 de Dezembro, Sábado e retornamos no Domingo,7.

Arqueologia de Nova Campina e Itapeva será destaque em série da UNIVESP TV

O arqueólogo e professor Sílvio Araújo, professor Juliano Camargo e a arqueóloga Luana Antoneto, que deram suporte à produção do programa na Região

Por meio de um convite, acompanhamos durante todo o sábado, 20, seguindo desde a manhã até o início da noite, os produtores da UNIVESP TV / TV Cultura juntamente com os arqueólogos Sílvio Araújo e Luana Antoneto, em visitas aos Abrigo Itapeva e Abrigo de Nova Campina; Dois entre os demais sítios rupestres localizados na Região. 


No Mirante Bonsai com o pessoal do Projeto English Summer Camp

Na tarde de hoje (07), acompanhei os alunos do "PROJETO ENGLISH SUMMER CAMP", numa trilha pelo Mirante da Torre, em Nova Campina.

VEJA NOSSO VÍDEO

Liderado pela professora Ivanete Landin e apoiado pela prefeitura Municipal e também pelas escolas Simpliciano Campolim de Almeida e Ary Antunes de Moura, o projeto é um trabalho em que há uma grande participação do Grêmio Revolucionários.